Lean

O que é?

A filosofia "Lean" é ideal para as empresas de serviços e indústria que actuam em ambientes extremamente competitivos, com forte exigência na flexibilidade e nos tempos de resposta. Os princípios de funcionamento do "Lean" são conhecidos por uma variedade de sinónimos: "Lean", "Lean Services", "Lean Manufacturing", "Lean Production", "Toyota Production System", entre outros. Acredita-se, regra geral, que o "Lean" foi "inventado" no Japão (mais especificamente, na Toyota), mas o facto é que Henry Ford já utilizava grande parte dos princípios na década 1920-1930:

"Um dos grandes segredos para conseguir que os produtos Ford tenham um preço baixo, é o encurtamento gradual do ciclo de produção. Quanto mais tempo um artigo estiver no processo de produção e quanto mais se movimentar, maior será o seu custo final." [Henry Ford, 1926]

Uma definição mais actualizada do "Lean", de acordo com J. Womack [Autor de "Lean Thinking" e de "The Machine That Changed the World"] é a seguinte:

"Uma abordagem sistemática para a identificação e eliminação de desperdícios (actividades sem valor acrescentado), através da melhoria contínua, fazendo os produtos fluir, sempre que o cliente os "puxa", na senda da perfeição". [James Womack e Daniel Jones, 2003]

Esta filosofia holística requer uma total quebra dos paradigmas existentes e implica uma completa mudança de mentalidades, na forma como se gere o negócio e os seus recursos.


Para que serve?

A filosofia "Lean" centra-se, essencialmente, na redução de desperdícios para criar fluxo e aumentar a velocidade de resposta ("lead time") desde o pedido até ao fornecimento do serviço ou produto. Esta filosofia assenta num princípio de melhoria contínua da eficiência dos processos operacionais e de negócio, com consequente aumento da produtividade e redução significativa de custos.

Dos seus pilares de intervenção destacam-se ainda a autonomia e responsabilização de todos os colaboradores, numa óptica de polivalência funcional, sustentada pela gestão e desafio de competências. O objectivo é ganhar flexibilidade e responder rápida e eficazmente aos desafios e problemas existentes.

Essencialmente, é objectivo de uma organização "Lean" fornecer aquilo que o cliente quer, quando o cliente quer e onde o cliente quer.

O "Lean" apresenta ainda um forte potencial de aplicação ao nível da Inovação, como metodologia de suporte e complementar na Inovação Organizacional, de acordo com a Norma NP 4457:2007.


Onde se aplica?

Os princípios, métodos e ferramentas do "Lean" aplicam-se aos serviços e à indústria, em ambientes de contacto directo com os clientes ou de níveis indirectos, alto e baixo volume, de "job-shop" e em indústrias de processo contínuo.

Por princípio, qualquer sector económico e actividade são elegíveis para uma incorporação dos princípios "Lean" tanto na sua plenitude como em actividades específicas e dedicadas, desde um departamento até todos os agentes da cadeia de valor.

Em ambiente de serviços, o "Lean" tem uma intervenção na redução dos tempos de resposta, aumento dos níveis de satisfação do cliente, melhoria da qualidade e fiabilidade de serviço, serviços de assistência ao cliente, optimização de processos organizacionais e redução de desperdícios, nomeadamente do tempo.

Tipicamente na indústria, o "Lean" aplica-se a toda uma unidade de fabricação ou transformação, com forte incidência ao nível da estabilização dos equipamentos e aumento da produtividade, autonomia dos colaboradores, optimização dos fluxos de informação e materiais, com especial incidência nos inventários.


Como fazemos?

Para que o "Lean" não seja mais uma "moda", há que aplicar os seus princípios em TODA a organização, com TODOS os colaboradores. Embora as suas componentes (as famosas ferramentas - 5S, SMED, TPM, KANBAN, POKA-YOKE, HEIJUNKA, etc...) sejam eminentemente tácticas e muito focadas, apenas se conseguirão resultados eficazes e sustentáveis através da aplicação integrada (de forma estratégica) e global em todos os processos de negócio.

Hoje em dia, designa-se "Thinking Production System" - e é por essa razão que a ProfitAbility Engineers se tem destacado, com uma abordagem que produz resultados extraordinários e sustentados - com uma abordagem simples, prática e fazendo as "coisas" correctas, correctamente.

Six Sigma

Melhoria contínua através da metodologia DMAIC [Define, Measure, Analyse, Improve e Control].

saber mais »

Coaching Operacional

Desenvolvimento de líderes operacionais, para facilitar a implementação de melhorias e a obtenção de benefícios rápidos.

saber mais »

Sistemas de
Gestão

Intuitivos, fáceis de utilizar, adaptáveis a novos referenciais, eficazes e promovem a eficiência.

saber mais »